• EN
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • Linkedin
Você está em: Início > Ensino > Unidades Curriculares > AFEVS4009
Autenticação
ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Capacidades Condicionantes e Atividade Física

Código: AFEVS4009    Sigla: CCAF
Área Científica: Ciências do Desporto

Ocorrência: 2023/24 - 2S

Área de Ensino: AFEVS - Ciências do Desporto

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular Créditos Horas Contacto Horas Totais
AFEVS 21 Despacho N.º 10205/2019, de 11 novembro de 2019 2 30 56

Horas Efetivamente Lecionadas

Docência - Horas Semanais

Teórico-Práticas: 1,00
Ensino Prático e Laboratorial: 1,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 1,00
Nuno Rafael Pedro do Couto - ESD   0,80
Susana Mendes Alves   0,20
Ensino Prático e Laboratorial Totais 1 1,00
Mónica Alexandra Godinho de Sousa - ESD   1,00

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Susana Mendes Alves Responsável

Objetivos de Aprendizagem (conhecimento, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

No final desta unidade curricular os alunos deverão ser capazes de: 
1. Conhecer atividades que exploram o desenvolvimento das capacidades condicionantes como a força, a resistência, a velocidade e a flexibilidade; 
2. Conhecer a especificidade de cada capacidade condicionante e os benefícios do treino das mesmas; 
3. Promover, conceber e orientar programas de atividades condicionantes para a alteração de estilos de vida saudáveis; 
4. Planear e liderar sessões de atividade física de acordo com o tipo de capacidade condicionante, características e objetivos do praticante;
5. Conhecer estratégias de vendas e retenção.

Conteúdos programáticos

1. Conceito de capacidade condicionantes
2. Capacidades condicionantes:
2.1. Força; 2.2. Resistência; 2.3. Velocidade; 2.4. Flexibilidade
3. Especificidades de cada uma das capacidades condicionantes
4. As capacidades condicionantes: relação com as diversas atividades física
5. Atividades físicas condicionantes:
5.1.Sessão de treino (Plano de Treino: Objetivos gerais e específicos; Exercícios; Componentes críticas; Velocidade de execução); 5.2.Estrutura da aula; 5.3.Metodologias de ensino de cada atividade; 5.4.Equipamento e materiais; 5.5.Linhas orientadoras de prevenção de lesões; 5.6.Higiene
6. Treino resistência manual
7. Treino sistémico da ajuda
8. Vendas e retenção de clientes

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

Os conteúdos programáticos são a operacionalização dos objetivos definidos para a unidade curricular, nomeadamente: Os pontos 1 a 7 dos conteúdos programáticos dizem respeito à operacionalização do 1º ao 4º objetivos definidos, os restantes pontos ao 5º objetivo.

Metodologia de Ensino (Avaliação incluída)

São utilizadas diversas metodologias de ensino, a saber: aulas teóricas (exposição de conteúdos); aulas teórico-práticas (seminários; workshops). Aos estudantes é disponibilizada a informação na plataforma MOODLE ESDRM, proporcionando o estudo autónomo. Os processos de avaliação disponíveis são a avaliação contínua e exame final. Avaliação Contínua: Avaliação Prática (50%; nota mínima:10 valores); Trabalho Escrito (30%; nota mínima:10 valores); Exercícios em Trabalho autónomo (20%; nota mínima:10 valores). Exame Final: Exame Prático (50%; nota mínima:10 valores); Exame Teórico (40%; nota mínima:10 valores); Prova Oral (10%; nota mínima:10 valores). Os alunos para acederem à avaliação contínua e ao exame final, na época normal, deve cumprir com pelo menos 80% de presenças nas horas de contato, exceto os alunos em situação especial. Os alunos em regime especial devem dirigir-se ao regente de modo a formalizar um modelo de avaliação personalizado e ajustado às suas condições específicas.


Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

A metodologia de ensino expositiva irá permitir aos alunos a aquisição dos conhecimentos necessários para o desenvolvimento prático dos mesmos. Nas aulas de práticas laboratoriais far-se-á a ligação à prática dos conceitos teóricos através de metodologias interativas, envolvendo os alunos no processo de ensino aprendizagem. Dessa forma, todos os 5 objetivos de aprendizagem definidos serão alvo de uma apresentação introdutória a que se seguirá a sua exploração mais aprofundada no âmbito das aulas teórico-práticas onde serão realizados os exercícios práticos.

Bibliografia de consulta (existência obrigatória)

American College of Sports Medicine (2021). ACSM¿s Guidelines for Exercise Testing and Prescription (11th Ed.). Philadelphia: Wolters Kluwer.
Aaberg, E. (2007). Resistance Training Instruction. Champaign: Human Kinetics.
Baechle, T. R., & Earle, R. W. (2000). Essentials of Strength Training and Conditioning: National Strength and Conditioning Association (2 ed.). Champaign, IL: Human Kinetics.
Goldenberg, L. & Twist, P. (2007). Strength Ball Training. Champaign, Il: Human Kinetics.
Gomes, A. C. (2002). Treinamento desportivo: estruturação e periodização. Porto Alegre:Artmed.¿
McAtee, R. E. & Charland, J (2007). Facilitated Stretching. Champaign, Il: Human Kinetics.
Nelson, A. G. & Kokkonen, Jouko (2007). Stretching Anatomy. Champaign, Il: Human Kinetics.
Seibert, R. (Ed.). (2004). Group Strength Training. San Diego, California: ACE.
Stone, M. H.; Stone, M.; Sands, W. A. (2007). Principles and Practice of Resistance Training. Champaign, Il: Human Kinetics.