• EN
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • Linkedin
Você está em: Início > Ensino > Unidades Curriculares > EATN02
Autenticação
ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Mesologia

Código: EATN02    Sigla: M
Área Científica: Ciências do Ambiente

Ocorrência: 2023/24 - 1S

Área de Ensino: Ciências Matemáticas e Naturais

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular Créditos Horas Contacto Horas Totais
LEATN 42 Despacho nº 5883/2023 5
Despacho nº 8075/2016 5 60 125

Horas Efetivamente Lecionadas

LEATN-1

Ensino Teórico: 16,00
Teórico-Práticas: 16,00

Docência - Horas Semanais

Ensino Teórico: 2,00
Teórico-Práticas: 2,00

Tipo Docente Turmas Horas
Ensino Teórico Totais 1 2,00
Ana Mafalda Dúlio Ribeiro Pacheco Ferreira - ESA   1,00
Samuel Pedrosa Guerreiro - ESA   1,00
Teórico-Práticas Totais 1 2,00
Ana Mafalda Dúlio Ribeiro Pacheco Ferreira - ESA   1,00
Samuel Pedrosa Guerreiro - ESA   1,00

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Ana Mafalda Dúlio Ribeiro Pacheco Ferreira - ESA Responsável
Ana Mafalda Dúlio Ribeiro Pacheco Ferreira - ESA Coordenação Científica

Objetivos de Aprendizagem (conhecimento, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Entender a importância da climatologia/agrometeorologia e dos ciclos geoquímicos dos elementos no sistema solo-planta-atmosfera. Integrar os seus impactos na gestão dos recursos naturais, na prevenção de riscos geológicos e no ordenamento do território. Confrontar o estudante com a necessidade de emitir opiniões alicerçadas em bases científicas. Saber discutir e integrar os condicionalismos pedoclimáticos como forma de garantir uma agricultura sustentável e a utilização racional dos recursos.

Conteúdos programáticos

Meteorologia, Climatologia e Agrometeorologia. Atmosfera terrestre. Radiação. Efeitos, intensidade e fotoperíodo. Temperatura do ar e do solo. Constantes térmicas. Ciclo hidrológico. Balanço hídrico: métodos utilizados e importância para os projetos agrícolas. Geada; métodos de luta. Circulação geral da atmosfera. Vento; medidas de proteção. Classificações e tipos climáticos. O clima de Portugal. Normais climatológicas. Instrumentos. Previsão meteorológica para a agricultura.
Geologia/Geoquímica do Ambiente. Minerais. Geodinâmica interna: Classificação, composição, e estabilidade das rochas. Geodinâmica externa: meteorização; minerais resistentes; produtos da meteorização. Dinâmica dos elementos; minerais de argila herdados e de síntese. Importância dos minerais secundários e fatores que condicionam a sua formação. Diagénese e rochas sedimentares. Caracterização das rochas por exame macroscópico. Introdução ao estudo da Pedogénese.

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

O programa foi estruturado de forma a permitir que os estudantes adquiram conhecimentos ao nível do 1º ciclo de estudos, nos domínios da meteorologia agrícola e dos ciclos biogeoquímicos dos elementos, para integração futura em UC nos domínios da fitotecnia geral. Os conhecimentos teóricos são transmitidos envolvendo o aluno na aprendizagem, confrontando-os com exemplos reais nas aulas práticas. Os grandes capítulos do programa são concluídos com a sua aplicação prática, de acordo com a alínea a) do n.º 2 do art. 61 do DL 74/2006, que refere que o processo de formação deve deixar de estar centrado no ensino (transmissão de conhecimentos) para ser centrado na aprendizagem do aluno (desenvolvimento de competências) e com o n.º 3 do art. 8 º do mesmo DL que refere que se deve valorizar a formação que visa o exercício de uma atividade de carácter profissional, assegurando aos alunos uma componente de aplicação dos conhecimentos adquiridos às atividades do respetivo perfil profissional.

Metodologia de Ensino (Avaliação incluída)

Os estudantes serão estimulados a problematizar e a formular hipóteses, testar e validar ideias e a coligir e interpretar dados/informação relevante. A aprendizagem será dirigida obrigando o aluno a utilizar a informação autonomamente e a procurar formas de comunicação tecnologicamente avançadas.
SISTEMA DE AVALIAÇÃO
Condições para admissão a exame final: são admitidos a exame final todos os estudantes que estejam legalmente inscritos
Dispensa de exame: classificação igual ou superior a 10 valores, em duas provas escritas. 
Modalidades de dispensa:
Dispensa total - Classificação igual ou superior a 10 valores, em cada uma das provas escritas;
Dispensa parcial - Classificação igual ou superior a 10 valores, apenas numa das provas escritas.
Exame final: Uma prova escrita


Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

O semestre em que a unidade curricular (UC) se insere, o primeiro, corresponde àquele em que o número UC na área das ciências básicas é mais elevado, privilegiando-se uma aprendizagem em que a transmissão do saber é o objetivo inicial. Justifica-se, assim, uma carga de ensino teórico elevada, onde o estudante, sustentando-se nos conhecimentos de nível secundário, os desenvolve e os aprofunda, através de materiais de ensino avançado.
A percentagem de horas de ensino teórico-prático, cerca de 35%, visa a aplicação dos conhecimentos adquiridos às actividades concretas da UC. O saber fazendo é agora o objetivo, incentivando-se o gosto pela aprendizagem e dando-se início ao percurso que permitirá ao estudante efetuá-la, mais tarde, de forma totalmente autónoma. Considera-se que, nesta fase do curso, a elaboração de trabalhos de grupo ou individuais seja ainda prematura.

Bibliografia de consulta (existência obrigatória)

Ahrens, C.D., Henson, R. 2019. Meteorology today: an introduction to weather, climate and environment. 12th ed.Boston:Cengage
Castillo, F.E. e Sentis, F.C. 2001. Agrometeorología. 2ed. Mundi-Prensa. España
Miranda, P.M.A. 2001. Meteorologia e Ambiente. Universidade Aberta.Lisboa
Ynoue, R.Y. 2017. Meteorologia: noções básicas. S. Paulo: Oficina de textos
Abreu, M.M. 1994. Caracterização, Origem e Comportamento dos Constituintes da Crusta de Meteorização. Textos de Apoio. AE, ISA
Carvalho, A.M. 1997. Geologia. Petrogénese e Orogénese. Universidade Aberta
Mason, B. e Moore, C.B. 1982. Principles of Geochemistry. 4ed. John Wiley & Sons, USA
Klein, C. e Hurlbut, C.S. 1993. Manual of Mineralogy. 21ed. John Wiley & Sons, Inc. USA
Schulze, D.G. 1989. An introduction to soil mineralogy. In F.E. Hurbult ed. Minerals in Soil Environment. pp 1-34. 2ed. SSSA Book Series, nº 1. Madison, Wi, USA
Weil, R. e Brady, C. 2017. The Nature and Properties of Soils.15th ed. Global edition. Pearson Education 

Observações