• EN
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • Linkedin
Você está em: Início > Ensino > Unidades Curriculares > MESMO107
Autenticação
ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Enfermagem à Mulher em Processo de Saúde-Doença

Código: MESMO107    Sigla: EMPSD
Área Científica: Enfermagem

Ocorrência: 2023/24 - 2S

Área de Ensino: 2º Ciclo

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular Créditos Horas Contacto Horas Totais
MESMO 19 Despacho n.º 5588/2023 6 168 168

Horas Efetivamente Lecionadas

10CMESMO

Ensino Teórico: 0,00
Teórico-Práticas: 0,00
Seminários: 0,00
Orientação Tutorial: 0,00

Docência - Horas Semanais

Ensino Teórico: 1,33
Teórico-Práticas: 1,87
Seminários: 0,33
Orientação Tutorial: 0,33

Tipo Docente Turmas Horas
Ensino Teórico Totais 1 1,33
Hélia Maria da Silva Dias   0,67
Sara Elisabete Cavaco Palma   0,66
Teórico-Práticas Totais 1 1,87
Hélia Maria da Silva Dias   0,53
Sara Elisabete Cavaco Palma   1,33
Seminários Totais 1 0,33
Hélia Maria da Silva Dias   0,20
Sara Elisabete Cavaco Palma   0,13
Orientação Tutorial Totais 1 0,33
Hélia Maria da Silva Dias   0,13
Sara Elisabete Cavaco Palma   0,20

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Hélia Maria da Silva Dias Responsável
Maria da Conceição Fernandes Santiago Coordenação Científica

Objetivos de Aprendizagem (conhecimento, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Capacidade de aquisição, análise e síntese de conhecimentos interdisciplinares relativos à mulher/casal/família no processo de
transição para o climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica
Integração de conhecimentos interdisciplinares para a resolução de problemas de saúde/doença à mulher/casal/família no climatério e em processos de saúde-doença
Capacidade de crítica individual e em grupo numa perspetiva interdisciplinar no processo de cuidados à mulher/casal/família no
climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica
Capacidade de conceção, análise e tomada de decisão no processo de cuidados à mulher/casal/família no climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica
Capacidade para a síntese e translação de conhecimento científico a partir da análise da melhor evidência científica para a prática clínica em enfermagem à mulher em processo de transição para o climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica     

Conteúdos programáticos

A menopausa/climatério na vida da mulher/casal
Conceito de menopausa e climatério
Alterações anatomofisiológicas relacionadas com o climatério
Os estilos de vida saudáveis numa perspetiva de qualidade de vida
Conceito de qualidade de vida e áreas centrais na menopausa/climatério
Práticas socioculturais. Modelos explicativos do climatério
A vivência da sexualidade. Resposta sexual, problemas/disfunções associados
Anticonceção na perimenopausa
Exames complementares de diagnóstico
Os principais tratamentos farmacológicos e não farmacológicos
As infeções sexualmente transmissíveis
A mulher/casal com patologia ginecológica e da mama
Anatomofisiologia e alterações do aparelho génito-urinário e da mama
A importância da promoção da saúde e da prevenção da doença em ginecologia. A especificidade dos rastreios
A vivência dos processos endócrinos, infeciosos, cirúrgicos, incluindo os oncológicos: do tratamento à reabilitação
A rede de referenciação em ginecologia     

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

Os conteúdos desta área do conhecimento em enfermagem de saúde materna e obstétrica sustentam-se no conjunto de aprendizagens já adquiridas pelos mestrandos nas dimensões académica e profissional da enfermagem, pelo que se valoriza uma perspetiva interdisciplinar e cumulativa na abordagem dos diferentes aspetos.
A organização dos conteúdos assenta numa visão abrangente e complexa dos fenómenos de enfermagem à mulher/casal/família no
processo de transição para o climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica e discutidos nas dimensões bio
fisiológicas e socioculturais. Estimula-se a construção das competências específicas desta área de especialização; desenvolve-se a
capacidade de auto e hétero crítica, análise e tomada de decisão no processo de cuidados, particularmente à mulher/casal/família
numa perspetiva da prática baseada na evidência.

Metodologia de Ensino (Avaliação incluída)

Privilegia-se um modelo ativo que atribua um papel central ao mestrando como sujeito ativo da sua aprendizagem com recurso a diferentes métodos e estratégias de ensino e aprendizagem. Sessões com recurso a exposição teórica e teórico-práticas para realização de exercícios práticos a partir de cenários criados com base nas caraterísticas da mulher/casal/família no processo de transição para o climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica e dos contextos de cuidados de saúde. 

Pesquisa, leitura e análise orientada de textos de referência, numa perspetiva da prática baseada na evidência. O trabalho autónomo do mestrando destina-se ao acompanhamento do trabalho a desenvolver na unidade curricular e a preparar a avaliação.
Avaliação: 1 (um) trabalho individual (100%), versão escrita (50% e apresentação em seminário (50%).     


Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

Pretende-se que a utilização de diferentes metodologias em relação à tipologia de ensino favoreça no mestrando o conhecimento dos diferentes conteúdos programáticos, bem como desenvolva capacidades de análise crítica numa perspetiva interdisciplinar e de síntese e translação de conhecimento científico. Considerando o nível de formação, 2.º ciclo, o recurso a cenários contextualizados, permite que o mestrando desenvolva as suas capacidades individuais e de grupo. Estas capacidades são enquadradas aos diferentes níveis do processo de cuidados numa lógica interdisciplinar, em contexto académico, promovendo-se a sua translação para contextos reais de cuidados. O desenvolvimento de um trabalho escrito individual apresentado em seminário permite que os mestrandos demonstrem habilidades de trabalho individual e em grupo e de crítica. Também a capacidade de comunicar as suas conclusões quer a especialistas quer a não especialistas, de modo sucinto e objetivo, por forma a gerarem-se novas ideias e aprendizagens face à conceção, planeamento e implementação do processo de cuidados à mulher/casal/família no processo de transição para o climatério e a vivenciar processos de saúde-doença ginecológica com base na melhor evidência científica.

Bibliografia de consulta (existência obrigatória)

Catafesta, G., et al (2015). Consulta de enfermagem ginecológica na estratégia saúde de família. Arq. Ciências Saúde, 22(1), 85-90.
Carvalho, D., Cotafo, R., Dias, H., Cruz, O., & Coutinho, E. (2020). A utilização de terapêuticas não convencionais no cuidar da
mulher com cancro da mama: Uma scoping review. Revista da UI-IPSantarém, 8(1), 333-342.  https://doi.org/10.25746/ruiips.v8.i1.19904
Regulamento nº 391/2019 da Ordem dos Enfermeiros. (2019). Diário da República: 2.ª série, n.º 85.
https://dre.pt/dre/detalhe/regulamento/391-2019-122216892
Santos, E., Coutinho, E., Chaves, C., & Nelas, P. (2021). Vivências de mulheres na menopausa: Contributos a compreensão do cuidar em enfermagem. Revista INFAD de Psicología, 1(1), 503-514. https://doi.org/https://doi.org/10.17060/ijodaep.2021.n1.v1.2131
Sociedade Portuguesa de Ginecologia (2021). Consenso nacional sobre menopausa. SPG. https://spginecologia.pt/wpcontent/
uploads/2017/05/Consenso-Nacional-Menopausa-2021.pdf